O presente trabalho, ilustrado através de vinhetas clínicas, pretende evidenciar a importância da impliação da rede familiar e social como um recurso terapêutico transformador em famílias que estão enfrentando uma perda. A morte de um familiar significativo tem profundas implicações afetivas e estruturais na família, sendo sua má elaboração um dos fatores que mais contribui para disfunções familiares. Trabalhar com essas famílias é, portanto, um desafio ao mesmo tempo difícil e instigante. Nesses casos, o apoio de uma rede ampliada de familiares e amigos pode ser um elemento decisivo para o sucesso dos objetivos terapêuticos, como os casos relatados pretendem ilustrar.

ADRIANA SELENE ZANONATO
Instituto da Família de Porto Alegre (INFAPA)
adrianazanonato@terra.com.br