world-childrens-day-520272_1920

Escuto com frequência pais dizendo: “A única coisa que desejo é que meus filhos sejam felizes”.

Penso que isto é muito pouco para se desejar aos filhos.

Ficamos felizes quando nossos desejos são satisfeitos. Isto é muito bom com certeza e precisamos ter garra para sair em busca de realizações. Aliás, em uma sociedade que nos convoca a ter sucesso e sermos vencedores, é quase uma obrigação ultrapassar os limites e conquistarmos aquilo que queremos.

No entanto, deixar apenas esse legado aos filhos é muito pouco e diria até perigoso.

O perigo de só se ocupar em ter gratificações é criar um vazio: precisa sempre renovar os anseios e buscar realização constante para manter o nível de satisfação.

Acredito que mais importante, então, é capacitar as crianças a suportar frustrações.

É preciso dar as ferramentas necessárias para que se tornem adultos capazes e competentes.

Desejo sinceramente que as crian̤as tenham pais ou adultos cuidadores que transmitam valores fundamentais como empatia Рconsidera̤̣o com o outro Рe respeito.

Que tenham quem lhes ensine a tolerância às diferenças, às limitações inerentes à condição humana e à convivência em sociedade. Que saibam que é necessário esforço para se alcançar algum objetivo. Que tenham oportunidade de aprender o equilíbrio entre gratificação e frustração, porque sabendo enfrentar os limites e as perdas o gosto das conquistas será mais saboroso.

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS.

Mara Lúcia Rossato

Coordenadora da Clínica da AGATEF

 

O texto está disponível para download aqui: dia-das-criancas